A crise dos 25 e nossa pressão constante por sucesso

large

Pensei muito em como começar esse post, e confesso que apaguei várias vezes antes de decidir realmente sobre o que escrever. Acontece que nos últimos tempos, especificamente na última semana, tenho vivido uma crise, onde tudo começa a passar pela cabeça. E, conversando com alguns amigos e conhecidos, não sou só eu que estou nessa crise. Nomeei carinhosamente de crise dos 25, porque daqui a alguns meses faço 25, e o sucesso que eu esperava ter nessa idade tá muito mais longe do que eu pensei.

Não é que minha vida seja ruim, mas tem dias, e noites, que me pego pensando o que deu errado, porque as coisas não caminham, ou porque às vezes eu tenho a sensação de que a vida tá passando e eu tô só trabalhando pra pagar as contas e não faço nada mais por mim. Ou às vezes a gente se pega pensando nas escolhas que fez na vida, carreira, trabalho, etc. Será que a gente acertou? Será que se a gente tivesse escolhido outra faculdade teria sido diferente? São tantas dúvidas, e é uma sensação de que você é tão novo para o tanto de pressão que tem que aguentar, mesmo já tendo um quarto de século nas costas.

Se isso te consola, não é só você que está passando por isso. Nossa cultura é tão imersa na necessidade de estudar muito pra passar no vestibular, e depois estudar mais ainda na faculdade pra conseguir um bom emprego, quando tudo termina e você se depara no mundão que você tem que enfrentar dá um puta medo mesmo. Ainda mais que a realidade é muito mais cruel do que contaram pra gente. Foi pra isso que eu me preparei? Cadê o sucesso da geração Y que me prometeram? Na vida real, falta mês pro salário e a gente sai contando moeda pra pagar uma cerveja no fim de semana.

Naquelas horas onde dá vontade de jogar tudo pro alto e ir chorar em posição fetal debaixo da cama, mesmo que sua vida esteja relativamente ok, ler histórias de gente que deu a volta por cima e conseguiu transformar uma realidade muito ruim em oportunidade é muito confortante pra mim. É confortante saber que é possível sim trabalhar no que gosta, e que ser feliz não é só seguir aquelas matérias do tipo “Fulano larga tudo para viajar para o mundo e revela que isso é ser feliz”, porque, francamente, se a gente jogar tudo pro alto não sobra nada pra viajar kkkkkk.

E outra, quando a gente para pra pensar, a gente passou tanto tempo estudando e tão pouco tempo no mercado, que tem horas que é preciso tirar o pé do acelerador e ter paciência pra deixar as coisas acontecerem. A pressão que o mundo coloca nas nossas costas nos faz não ter paciência e esperar o curso natural das coisas. E falo isso por mim. Já troquei empregos com menos de 6 meses porque não tava satisfeita, e gente, o que você aprende em seis meses? Pra construir uma carreira leva tempo, mas nossa mania de se comparar com os outros nos leva a sempre querer que as coisas aconteçam do dia pra noite. E reconhecimento, tanto profissional quanto pessoal, leva tempo e leva estrada. E nessa estrada pode esperar um monte de pedrada, gente escrota, choro de cansaço e noite sem dormir.

É fácil? Jamais, tem dias que dá a impressão de que não vai dar, mas como diria o gênio Bambam “QUE NÃO VAI DAR O QUE, PORRA!!!” . E é verdade, o dia sempre acaba e no dia seguinte tudo parece mais claro. Uma dica pra quando você quiser tirar o pé do acelerador e parar de se cobrar o sucesso dos outros: respira. Parece idiota, mas nas minhas piores crises de ansiedade, a resposta sempre estava dentro de mim, e só respirando e me acalmando eu conseguia seguir em frente.

Se você está infeliz com o que você faz, se já se deu conta de que não é pra você, a gente ainda é muito jovem e sempre dá tempo de mudar. Esse texto é quase como uma terapia pra mim, eu preciso fazer tudo isso aí, me acalmar, desacelerar, parar de querer abraçar o mundo com as mãos e apenas ter paciência. Se você tá na mesma situação que eu, vamos respirar e tentar não pirar.

É um compromisso que faço com vocês e comigo mesma ♥

 

Ana Paula de Almeida

24 anos, jornalista, apaixonada por moda, redes sociais, Netflix e playlists do Spotify. Caipira morando na cidade grande e que ainda pega ônibus errado