vinte e cinco

large

Então, é meu aniversário. Meu aniversário de 25 anos. Só aqui no blog já foram uns cinco aniversários comemorados em forma de texto, né? Mas esse é especial. Pode parecer uma data como qualquer outra mas lá no fundinho eu sempre quis fazer 25 anos.

Eu sonhava com meus 25 anos desde a minha pré-adolescência. Porque? Nem eu sei. Só sei que imaginava tanto, nos meus sonhos eu já seria super adulta, bem sucedida, e até casada? Algumas das previsões não se completaram, e com certeza não sou a pessoa de 25 anos que eu imaginava com 12.

Mas com certeza, meu eu de 12 anos ficaria feliz de conhecer meu eu com 25. Eu não sou bem sucedida como eu imaginava, mas eu já conquistei muita coisa. Coisas que aliás, com meus 22 eu não imaginava já ter com 25. Nos últimos dois anos mudei de cidade, saí de casa, mudei de casa três vezes sozinha, mudei de emprego, encontrei o amor, pintei o cabelo, viajei, conquistei bens que eu desejava, fui a shows que eu sonhava, me desafiei, tive porres memoráveis, crises de choro memoráveis, crises de riso ainda mais. Chorei de saudade, de desespero, de felicidade, de tristeza, de raiva. Se tem uma coisa que aprendi com o passar dos anos é a não segurar o choro.

Se há três anos me dissessem o que eu ia passar até chegar aos 25, eu não acreditaria. Eu chego a esse aniversário com um saldo muito positivo e feliz. Eu só tenho motivos para agradecer, e isso não é clichê. Agradecer pela minha família abençoada que sempre me apoia e que eu amo mais que tudo, pelos meus amigos incríveis, pela irmã que a vida me deu (a Deh sabe que tô falando dela rs), pelo homem mais incrível do mundo que eu tenho o prazer de ter do lado, pelas conquistas, pelas derrotas, por cada perrengue que hoje eu dou risada. Tenho que agradecer por toda pessoa que me disse “vai passar”, porque passou.

E eu agradeço de coração a todos que dedicaram um minutinho do dia pra me desejar parabéns.

Gratidão ♥

Continue Reading

Testamos o Leve-me, novo aplicativo de mobilidade urbana

Na semana passada nós recebemos da Ótima um kit pra gente conhecer o Leve-me, o novo aplicativo de mobilidade urbana que eles lançaram, aqui em SP. O Leve-Me nada mais é que um aplicativo que te ajuda a encontrar as melhores rotas de ônibus, trem, metrô e bicicleta em toda a cidade de São Paulo. Você coloca seu ponto de partida e o ponto de chegada e ele te dá os melhores caminhos pra você: os busões que você precisa, as baldeações de metrô, e te dá uma estimativa de tempo de chegada. É como se fosse um Waze, só que de transporte público.

Screenshot_2016-05-30-16-54-42

 

Como eu sou a miss bilhete único em São Paulo, pego ônibus e trem todo dia pra vir pro trabalho, e durante os fins de semana aproveito o metrô para fazer meus passeios, achei incrível a iniciativa e fui logo testar o app pra ver se ele é realmente legal como parece.

Antes de mais nada, eu já uso outros aplicativos com o mesmo objetivo, mas nunca é demais conhecer um app novo, né? Logo de cara, achei o aplicativo muito leve (com o perdão do trocadilho hahaah), ele abre fácil, não demora pra carregar as rotas e não trava o celular (importante). Logo que você baixa, ele te pede pra fazer login, outros apps que eu uso não tem essa funcionalidade, mas como ele usa o login social (pelo usuário do Facebook), resolvi logar e ganhei 300 pontos no app.

O Leve-Me tem a dinâmica do gamification, que pra quem não conhece o termo, é a troca de incentivos entre empresa e usuário, afim de incentivar o usuário a usar cada vez mais o app. Como acontece no Waze, sabe? Quanto mais você usa, mais pontos vai ganhando e mais níveis vai subindo, como se fosse um jogo mesmo, por isso o nome ‘gamification’. No Leve-Me, seus pontos podem ser trocados por ofertas, o que eu achei incrível porque amo uma oferta. Inclusive, quando eu baixei eu ganhei um Bic-Mac kkkkkk, e eu posso escanear meu cupom em qualquer ponto de ônibus que tenha o painel da Ótima (quem mora em SP sabe quais pontos são esses, e estão espalhados pela cidade toda).

Screenshot_2016-05-30-16-57-30

 

Assim como no Waze (de novo, desculpem a redundância, é que o Leve-Me tem muitas semelhanças legais com ele!), você ganha um avatarzinho, que é um ônibus kkkk eu amei, o meu está segurando um bebê, deve ser porque eu acabei de entrar na plataforma.

Dica: quando você adiciona lugares favoritos, como casa, trabalho, mozen (kkk), você ganha 10 pontos pro seu bichinho).

Screenshot_2016-05-30-16-57-51

 

O layout é muito fofo, e quando você direciona um destino, ele te dá a rota mais confortável, a rota mais rápida, a rota mais saudável (de bike) e a rota de táxi. Achei demais, porque você pode escolher qual rota quer pegar dependendo da sua preguiça ou falta dela. No meu caso, rota confortável está sempre em primeiro lugar, porque se tem uma coisa que eu prezo, essa coisa é ir sentada no busão.

Screenshot_2016-05-30-16-56-19
Outra funcionalidade legal é a de você mapear quais ônibus estão circulando naquele momento perto de você. Isso é ótimo pra você saber quando ir para o ponto de ônibus. Porque fala sério, ninguém merece ficar esperando tal qual uma trouxa no ponto e o ônibus passar só dali a meia hora.

Screenshot_2016-05-30-16-55-12

Você também pode emitir um alerta sobre a situação do ônibus que você está, pra avisar quem tá esperando se ele vai sentar ou se vai ter que prender a respiração porque não passa nem um sopro no ônibus de tão lotado.

 

Screenshot_2016-05-30-16-56-53


Por fim, o Leve-Me tem também um mapa do transporte metropolitano, desses que tem em todos os metrôs e trens, ótimo para perdidos como eu saberem qual baldeação fazer, e não pegarem o lado errado do metrô kkkkkk.

Screenshot_2016-05-30-16-55-54

Gostei bastante da experiência e vou continuar usando. Acho que o aplicativo precisa de melhorias ainda, tipo o horário dos metrôs e trens, que não achei ali. E acho que quando mais gente começar a usar, mais precisas vão ficar as infos de horário, disponibilidade e tudo mais. Obrigada Ótima pelo convite a testar o app! Quem é de São Paulo, pode baixar que é grátis pra iOS e Android 🙂

Continue Reading

#NapaulaTakesSP – Dicas para cuidar das roupas sozinho

washing-machine[1]Como vocês sabem, eu saí de casa há quase um ano e tô morando em SP, não sozinha, mas não moro mais com meus pais. Sei que muuuuita gente já passou por essa fase, mas tem gente passando por esse processo agora, ou então com planos de passar. E assim, eu não sou mimada, nunca fui, sempre ajudei nas tarefas domésticas desde criança, mas quando fui morar sozinha eu me dei conta de que nunca tinha lavado minhas roupas.

giphy

Não tenho vergonha de falar, não sou nenhuma acomodada, mas como minha mãe acumulava as roupas de todos em casa pra lavar de uma vez e economizar água e energia, acabou que eu sozinha nunca tinha lavado, só mesmo minhas roupas íntimas e meias. É, pode parecer vergonhoso pra uma mulher de 23 anos nunca ter lavado suas roupas mas fazer o quê né, eu trabalho desde os 15, aquela ladainha todas que vocês já sabem, e eu sei que muita gente com a minha idade também é assim e não necessariamente é por preguiça.

Aí ok, fui morar sozinha, e numa cidade distante então não rolava levar minhas roupas pra minha mãe lavar, porque eu só vou pra lá uma vez por mês (e também porque aí seria cara de pau demais né hahahahah). Aí você me diz “nossa fia é só botar na máquina”, e eu te digo: fiote, experimenta jogar roupa colorida com roupa branca na máquina pra você ver o que acontece.

giphy (2)

Minha ~primeira vez~ lavando minhas roupas sozinha foi claro, com a ajuda da minha mãe, via whatsapp hahahaha. Não é difícil, longe disso, mas você tem que ter alguns cuidados que vão garantir que suas roupas estejam sempre gostosinhas e cheirosinhas, igual na casa da sua mamain. Abaixo, eu listo as dicas que eu aprendi e que podem ser úteis pra quem vai passar por esse processo também!

E outra, não precisa ter vergonha de admitir que você nunca lavou roupas sozinho, seu dia vai chegar, e sabendo as dicas necessárias você vai ver como é fácil e vai agradecer sua mãe pelo resto da vida 🙂

1 – Separando 

giphy (5)

O ideal, em tempos de crise hídrica, é você deixar acumular um pouquinho de roupa pra gastar menos água e etc. Aí, na hora de lavar, é imprescindível separar suas roupas. Eu separo em três pilhas: brancas, claras e escuras. Quando a roupa é branca mas com estampa colorida que pode soltar tinta, eu coloco no balaio de roupa clara. Roupas escuras não são necessariamente roupas pretas, mas sim roupas com cores médias ou vivas. Roupas brancas eu coloco as que são necessariamente brancas lisas ou com poucas estampas, toalhas e roupa de cama clara (mas toalha e roupa de cama eu lavo separado das roupas).

Depois de separar por cor é importante separar as peças delicadas, porque você não vai botar uma ~brusinha~ de seda pra lavar com uma calça jeans, né fia? E por fim, separar as muito sujas, que precisam de uma lavagem mais pesada.

2- Temperatura

giphy (3)

Você sabia que a água precisa estar na temperatura certa pra sua roupa não encolher? Eu não sabia e ainda bem que li antes porque senão ia ficar de barriguinha de fora. Água quente é pra manter a brancura das roupas e pra roupas muito sujas. Água morna é pra tecidos de cores claras e que não tem cores firmes (soltam tinta) e que não precisam ser passadas. Água fria é pra roupa que não tá muito suja, cores escuras ou vivas e peças delicadas. Na dúvida, é só olhar a etiqueta da roupa, lá geralmente tem a temperatura ideal.

3 – Escolhendo a função da máquina

Aí é meio intuitivo né? Só olhar nos botões da máquina qual que se adequa mais a roupa que você vai lavar.

4 – Botando sabão, amaciante e alvejante

Agora é botar os produtos de limpeza nos compartimentos certos. E acredite, invista num bom amaciante, isso vai fazer diferença depois na hora de passar e vestir a roupa. E aff, tão gostoso o cheirinho <3. Melhor comprar um mais caro e que rende mais do que comprar um vagabundo que não rende nada.

5 – Preparando pra botar as roupas na máquina

giphy (6)

Antes de jogar tudo lá como se não houvesse amanhã, verifique se a roupa tem manchas. Se tiver, é bom deixar de molho antes e esfregar pra sair a mancha (esfregar na mão, querida). Se for uma manchinha pequena, dá pra esfregar com sabão de coco ou detergente de pré-lavagem, se você for fresca #sabãodecocopride.

Ah, é importante também fechar zíperes, botões, amarrar cordões e prender ganchos porque eles podem estragar outras roupas. E claaaro, olhar todos os bolsos pra ver se não tem documentos ou dinheiro neles. Nada pior que ver uma nota de 100 conto boiando na máquina. Não que tenha acontecido comigo porque eu não costumo ter notas de 100 reais, só de dois mesmo. Mas mesmo assim né, olha antes. E ah, não coloca a roupa do avesso na máquina porque senão só o avesso que vai ficar limpo, e a bonita não vai usar roupa do avesso né? Só em casos de estampas especiais, que podem se danificar.

6 – Colocando as roupas na máquina

Não joga as roupas na máquina como se você tivesse arrumando as malas pra fugir de casa e tivesse socando tudo que dava dentro da mochila. Bota com cuidado ow, uma por vez, deitando elas em berço esplêndido na máquina. Elas precisam de espaço pra se mover, elas precisam de LIBERDADE querida. E depois, ajuste a água de acordo com a quantidade de roupa, não é pra afogar elas não. Desculpa, me exaltei.

7 – Botando pra secar 

giphy (4)

Pronto, você já deixou suas roupitchas na máquina, ela já lavou, torceu, centrifugou e agora é só botar no varal. Seja na secadora ou no varal normal, bote as roupas bem esticadas e com espaço, assim elas secam sem amarrotar e voilá, você não precisa nem passar (a menos que você seja neurótica igual a mim com roupa amarrotada). Prontinho, você agora tem roupas limpas e cheirosas pra vestir!

PS: eu boto minhas lingeries (não as mais sensíveis e rendadas, rsss) na máquina junto com as roupas delicadas. Antes dou uma esfregadinha com sabão de coco se precisar, e elas saem limpinhas e cheirosas, quase secas, direto pro varal.

giphy (1)

Espero que minhas dicas ajudem, e espero poder dar mais dicas úteis pra vocês!

Continue Reading

5 dicas pra quem quer morar sozinho (ou dividir apê com outras pessoas)

Hoje começamos uma nova série aqui no blog! Ela vai se chamar “5 dicas”, e toda segunda e terça-feira, eu e a Denise vamos dar dicas úteis, engraçadas, polêmicas e valiosas pra você se virar no dia-a-dia, na vida amorosa, numa floresta selvagem ou no meio de uma balada cheia de desconhecidos. A intenção é descontrair, deixar seu dia mais leve e engraçado. E pra começar, e pra comemorar que hoje faz seis meses que eu tô morando longe de casa, vim dar 5 dicas pra quem quer morar sozinho ou dividir o apê com outras pessoas.

morando_sozinha

1 – Paciência – um dos grandes conselhos que eu dou é: tenha paciência, porque não é fácil e você não pode correr pra casa da sua mãe na primeira oportunidade. Bom, se você não morar longe até pode, mas geralmente não é caso. Tanto morar sozinho quanto com outras pessoas é um exercício de paciência porque na maioria das vezes as coisas não acontecem do jeito que você quer, geralmente é você que tem que fazer tudo por você, desde lavar suas meias até fazer/comprar seu almoço, as contas chegam e elas não esperam sua boa vontade de pagá-las, e você ainda tem que contar moedinha no fim de mês se não quiser comer lixo.

2 – Faça supermercado – não tem coisa pior na vida de quem não mora com os pais que dar aquela fome às 2h da manhã e não ter nem um pedaço de pão velho pra mastigar. Aí você se lembra que magicamente no armário ou na geladeira dos seus pais SEMPRE tem uma coisinha pra beliscar, mas não é mágica, é que seus pais sabem que a gente tem que fazer supermercado se quiser ter as coisas. Mas spoiler, fazer supermercado é chato pra caraleo e pagar mais chato ainda. Mas é necessário. E não adianta encher o carrinho de bobeira, com o passar dos meses você vai aprendendo que é melhor comprar comida de verdade porque trakinas e nuggets não sustentam um ser humano adulto.

3 – Aprenda a lavar suas roupas – assim como a compra de supermercado não se faz sozinha, as roupas infelizmente não se lavam sozinhas ainda. Mas a máquina de lavar é 75% de adiantamento nessa parte, os 25% restantes ficam pra você botar e tirar a roupa da máquina. Se você não sabe como lavar a roupa, nesse tutorial aqui eu ensino direitinho.

4 – Procure – muita gente me pergunta como eu arrumei o apê que eu tô morando, e é muito simples: procurando. Tem vários aplicativos e sites que ajudam a achar um apartamento pra você morar sozinho e pra você dividir com outras pessoas. No easyquartos, onde eu achei o meu, você encontra várias pessoas que já moram no apê e estão com quartos vagos, isso é bom pra quem precisa se mudar rápido, sem burocracia de imobiliária e por um preço mais camarada. Mas se você quer se aventurar a morar sozinho, apps como Zap Imóveis e Imóvelweb foram feitos pra isso, você vê fotos, pega o contato do corretor e vai atrás.

5 – Não tenha medo e saiba se adaptar – ouço muito a frase “como você consegue morar com pessoas que você não conhece??”, e a resposta é simples: tudo na vida é adaptação. Claro que o ideal é você procurar morar com gente que tem o mesmo estilo de vida que o seu, a mesma rotina, mesmos ideais, essas coisas. Por exemplo, eu não conseguiria morar em uma república de estudantes mais novos, que curtem fazer festas adoidado, porque eu não sou assim. Mas se você curte, se joga! Morar com outras pessoas pode ser uma experiência bem legal de adaptação e de crescimento, você aprende a se adaptar com outras pessoas que não são sua família, vira amiga e aprende com elas. E fora que é uma prática muito comum no mundo todo, se você for fazer intercâmbio, a menos que você seja milionário, você vai morar com gente diferente de você. E não tenha medo, não é um bicho de sete cabeças, quando você aprende a respeitar o espaço do outro, vira uma puta experiência de vida. Recomendo a todo mundo pelo menos uma vez na vida! E você tem a liberdade de sair quando quiser e procurar novos roomates 🙂

E aí, gostaram das dicas? Quem quiser saber mais sobre essa vida, só me dizer aí nos comentários!

Continue Reading

Os canais de culinária mais legais do Youtube

Desde que me mudei pra São Paulo (e por consequência, vim morar sozinha), vocês já sabem da minha saga pra aprender a cozinhar. E um dos meus grandes aliados nessa empreitada foi o Youtube. Os canais de culinária fazem o maior sucesso por lá, porque ajudam a você e a mim, que não podemos assistir o programa da Ana Maria Braga, a aprender receitas em vídeos fáceis e rápidos.

large

Mas como tudo no Youtube, existem milhaaaares de canais de culinária, então eu separei os que eu mais gosto e mais me ajudam pra você que também tá nessa. Tem receita de doce, de salgado, de drink, de tudo. Das mais sofisticadas às mais simples. Vem comigo:

1 – All Recipes

Esse é meu preferido porque é o mais fofo ever. Não tem ninguém ensinando, e as receitas são feitas estilo stopmotion, e dá pra você anotar os ingredientes numa boa (bem estilão programa da Namaria na Record hein? Quem lembra do Note e Anote?)

2 – Torrada Torrada

Eu amo amo amo a Luanda Gazoni e a cozinha toda retrô dela! Ela ensina várias receitas legais e sempre tem um convidado especial cozinhando com ela! O melhor é que o Mohamad do Masterchef sempre tá lá MAS NÃO É POR ISSO QUE EU ASSISTO HEIN!!

3 – Cozinha para um

A grande dificuldade de cozinhar pra uma pessoa só é acertar as medidas pra não desperdiçar comida. E o Cozinha Para Um é feito justamente pra você aprender a acertar a mão cozinhando só pra você! E tem receitas de doces e de salgados maravilhosas e muito fáceis de fazer!

4 – Rolê Gourmet

O Rolê já é um velho conhecido das web e é comandado pelo Tavião e pelo PC Siqueira. Eles sempre levam um convidado e ensinam receitas criativas e muito simples de fazer. Tem também várias receitas de drinks pra você chamar seus amigos ou seu boy pra sua casa e surpreender.

5 – Daniele Noce

A Daniele fazia o canal I Could Kill For Desert e agora mudou o nome do canal, mas as delícias continuam. É o melhor canal pra você aprender a fazer os doces mais deliciosos do mundo. Só não recomendo se você estiver de dieta!

Já me deu fome aqui, socorroooo!

Continue Reading

Napaula no Lollapalooza – como foi

Bom, quem me acompanha no instagram (@apdealmeida) viu que no sábado eu fui ao Lollapalooza, que rolou no Autódromo de Interlagos, aqui em São Paulo. Eu fiquei no lounge, riquíssima kkkkkkk (mas o ingresso foi um presente, pois se tem algo que não sou é rica). Enfim, eu sou completamente apaixonada por festivais, já fui ao Rock in Rio em 2011 e morria de vontade de ir ao Lolla, porque sempre tem bandas que eu amo ouvir (pq sou hipstey).Processed with VSCOcam with b5 preset

Claro que a experiência de ficar no lounge é completamente diferente, você fica junto com vários famosos (da televisão e da internet), tem muita coisa legal pra fazer lá, várias ativações das marcas, então acaba sendo muito mais que só ver os shows. No sábado, quem eu mais queria ver, que era a Marina and The Diamonds, não foi e eu fiquei bem pu triste, mas os outros shows foram incríveis. Eu vi Alt-J e Fitz And The Tantrums que tava super afim, vi St. Vincent que é incrível, Banda do Mar que eu amo, Marcelo D2 que eu sabia todas as músicas, Robert Plant que é um mito, Jack White que é minha adolescência e Skrillex que é muito foda.

Processed with VSCOcam with f2 preset

O mais legal de festivais é que você acaba conhecendo muitas bandas, ainda mais um festival como o Lolla, que é cheio de bandas alternativas. Um exemplo foi o Kongos, que eu nunca tinha ouvido falar e que é muito bacana! Eu fui com as meninas que trabalham comigo na agência e deu pra se divertir bastante. O clima do festival é muito legal, muita gente alternativa, um verdadeiro desfile de referências de moda, de tendências e de estilos diferentes. Pra quem curte moda e música, o Lolla é um puta festival!

Continue Reading

#NapaulaTakesSP – 1 mês morando em São Paulo: lições que aprendi

Caramba, já faz um mês que saí de casa e tô morando sozinha em São Paulo! Ao mesmo tempo que passou super rápido, parece que já tô aqui há muito mais tempo. A vida em SP é intensa e os dias acabam passando e você nem vê. Aconteceu tanta coisa nesse primeiro mês que faz com que pareça que já tô aqui há pelo menos uns seis.

moved
Na legenda tá como dia 4, mas eu me mudei dia 3 hahahaha

No geral, tô muito feliz e adaptada à nova vida. Saudade é claro que tem, porque eu não posso voltar pra casa todo fim de semana, mas aos poucos vou criando minha vida aqui e me sentindo cada vez mais em casa. Eu sempre me senti em casa em São Paulo, então acho que isso ajudou bastante na adaptação. Fiz um resumão das coisas que aprendi nesse mês, que sei que podem ajudar quem está pra se mudar ou tem esse sonho.

1 – organização é tudo quando se mora sozinho

casa-da-mae-joana

Eu não moro sozinha, divido apartamento com duas meninas, mas fico a maior parte do tempo sozinha em casa então é como se fosse hahahaha. E organização é essencial quando se mora sozinho. Roupas não se lavam sozinhas, camas não se arrumam sozinhas, louças não se limpam sozinhas, casas não se varrem sozinhas etc. E faxineira é caro, então dá pra pagar uma vez por mês. Ou seja: você tem que fazer as coisas. Eu sempre fui muito organizada, mesmo morando com a minha mãe, mas quando a gente tem a mãe do lado é mais do que normal rolar aquela preguiça na hora das tarefas domésticas. Mas, quando você tá sozinho, se você não fizer, ninguém vai fazer (pelo menos não de graça). Nesse mês adquiri o hábito de nunca sair sem deixar a cama arrumada, porque tenho toc de chegar em casa a tarde e a cama estar do mesmo jeito. Como não moro em hotel, eu levanto e já arrumo, leva 5 minutos e não me custa nada. Mesmo.

O mesmo pra roupas, é chato d+++++ lavar roupa aff mas é tão bonita a roupa cheirosa! E máquina de lavar é uma mão na hora. Separo uma hora do sábado de manhã e bato tudo. Roupas limpas a semana toda! Agora passar msm que é um pé no saco, haja paciência. Mas com organização dá pra levar tudo.

2 – cozinhar pra um é chato demais

cozinhando-sozinho

Mas é necessário porque você não vai passar fome e comer fora é caro demais também. Claro que tem dias que a preguiça é proporcional à distância do iFood e é mais fácil pedir comida. Mas além de não ser saudável é muito caro. Economia é tudo nessas horas.

3 – economia é tudo

cofre-porquinho-economia-financas-poupanca-dinheiro-1294678283226_956x500

Depois que você vai morar sozinho passa a prestar atenção no tempo que leva no banho, que leva escovando os dentes, que leva fazendo chapinha no cabelo e etc porque é você que paga tudo. E tem mais, no supermercado, você fica olhando as promoções e as marcas mais baratas sempre. Nada de levar o pote enorme de toddy sendo que um refil é uns 40% mais barato hahahaha. Você passa a entender porque seus pais sempre ficavam super estressados no começo de mês, não é fácil esse monte de conta pra pagar hahahaha. E tem mais, quanto mais você economiza em gastos supérfluos, mais dinheiro sobra pro bar hahahahaa (ou pra comprar cerveja no mercado e beber em casa).

4 – itens de decoração passam a ser mais legais que roupas e sapatos

cb934b308b21c01ae7c59c2100992bf6

Ainda não tô no meu apê, sozinha, mas já considero onde eu moro como casa. E a relação é diferente que na casa dos pais. Eu fico olhando coisinhas pra decorar e deixar o apê mais bonito, coisas pro meu quarto, coisas pra cozinha, pra sala, pro banheiro hahahahaa. Passo horas olhando blogs de decoração e lojas de objetos decorativos. Fico imaginando cada detalhe que ficaria mais legal. E também fico sonhando com utensílios domésticos, tipo, meu sonho do momento é um liquidificador hahahahaha.

5 – adaptação e resiliência na convivência são fundamentais

POST-Indo-morar-com-amigos

Pra quem vai sair da casa dos pais pra dividir apartamento com amigos ou conhecidos, uma dica: adaptação e resiliência (capacidade de superar obstáculos, lidar com problemas e se adaptar a novas realidades sem surtar) são fundamentais. Não adianta, por mais legais que sejam as pessoas com quem você mora (eu não tenho do que reclamar, mesmo, minhas roommies são uns amores), cada um tem um jeito e você tem que se adaptar a elas. Ainda mais se você chegou depois, como eu. Casas tem regras, não é porque você não mora mais com seus pais que pode fazer o que quiser. Você tem que respeitar o espaço de quem mora com você, ajudar nas tarefas, engolir seco algumas vezes e fazer de tudo pra que a convivência seja a melhor possível.

Além do quê, vocês moram na mesma casa e acabam sendo a família uma da outra. Seus roommates serão no fim do dia aquele amigo-irmão com quem conversar, dividir como foi seu dia, dar conselho, dar risada, assistir filme junto, etc. E é muito legal quando você dá a sorte de morar com pessoas bacanas e que vão acrescentar na sua vida.

6 – amigos são sua família

Sempre quis usar essa foto, me deixem hahaaha
Sempre quis usar essa foto, me deixem hahaaha

Quando você mora longe dos pais, seus amigos se tornam sua família, mais do que já foram até hoje. Se não fosse pelos meus amigos de São Paulo eu já teria surtado, e muito mais, se não fosse pelos meus amigos de Aparecida, eu teria surtado com certeza. A internet aproxima muito quem tá longe, e tem que aproximar mais quem tá perto. Na hora do aperto, são seus amigos que serão seu ombro. Mas o mais importante, não interessa se você mudou pra cidade do lado ou pro outro lado do mundo, nunca perca a ligação que você tinha no seu lugar de origem, nunca perca as suas essências!

Não vá se deslumbrar porque agora você tá numa outra realidade. Seus amigos vão continuar a ser seus amigos onde quer que você esteja, mas você tem que fazer sua parte nesse processo. Não perdi contato com nenhum amigo meu de lá, pelo contrário, pelo menos com a Denise a relação ficou ainda mais estreita e eu fico muito feliz com isso. Fiz muitos amigos aqui, mas sem esquecer jamais os amigos que carrego comigo pra onde for <3 Isso faz muita diferença na vida, acredite!

Bom, faz só um mês que tô aqui, sei que ainda vou passar por muuuuita coisa, e quero dividir aqui com vocês. Mas o que posso falar é que nesse um mês cresci uns cinco anos e tô me adaptando melhor do que imaginei que me adaptaria. É muito louco como tudo tá sendo natural pra mim, mas acho que isso é consequência de ter vindo na hora certa. Quem já passou por isso acho que me entende, e quem quiser conversar sobre, é só chamar nos comentários, vou adorar dividir essas experiências com vocês <3

Continue Reading

#NapaulaTakesSP – 1 semana morando em São Paulo

Quem acompanha o blog ou me acompanha nas redes sociais já tá sabendo que eu me mudei pra São Paulo. Já faz 1 semana que to aqui, mas nesse meio tempo aconteceu tanta coisa que parece que faz muito mais!

Em praticamente duas semanas minha vida virou de ponta cabeça: emprego novo, cidade nova, casa nova. Saí do interior e vim morar longe da casa da minha mãe pela primeira vez. Não moro sozinha, divido apartamento com mais duas meninas, mas quem saiu da casa dos pais sabe que é tudo muito diferente. E eu vou contar um pouco como foi esse processo.

Como encontrei minha casa:

A minha mudança foi muito rápida. Apesar de já sonhar e planejar me mudar pra São Paulo há algum tempo, a mudança em si foi rápida. Quando recebi a resposta do emprego precisava mudar logo, mas já estava sondando um lugar pra alugar.

O primeiro impulso foi alugar um apartamento só pra mim, mas quem mora em SP sabe o quanto é absurdo de caro, e eu ainda teria que mobiliar uma casa que em tese não seria minha, e fora que eu precisaria de um fiador ou de pagar um seguro fiança, que também não é barato.

Depois pensei em alugar uma kitnet só minha, afinal, a maioria das kitnets vem mobiliada. Mas aí pensei na qualidade de vida: eu nunca morei sozinha, eu nunca morei numa cidade tão grande. Me mudar e de cara ficar sozinha, sem ninguém pra conversar ou me ajudar em coisas básicas do dia a dia, eu fiquei com medo de dar uma surtada Hahahhaha

Aí resolvi procurar apartamentos pra dividir, fui em grupos no Facebook, e em um dos grupos achei dois sites: o Moove IN e o Easy Quartos. São sites de anúncio de quem aluga quartos ou kitnets. E foi no Moove In que eu achei o apê onde eu to morando. Eu delimitei a região onde eu queria, perto do metrô e perto do meu trabalho e entrei em contato com a proprietária. Foi o primeiro lugar que eu visitei e já fechei hahahhaah. Dei sorte que é mais perto do meu trabalho do que eu imaginava, eu vou a pé trabalhar todos os dias.

Acho que pra quem está na mesma situação que eu, o importante é definir as prioridades (localização, preço, quantidade de pessoas que moram no ape) e visitar os que você achou bacana, porque às vezes o anúncio na web engana bastante. Eu tive sorte, mas defini a localização e não dei muito tiro na água pra escolher.

Não tirei muitas fotos ainda porque to me acostumando e me ajeitando aqui, mas meu novo quarto é esse 🙂

Segunda-Feira que vem eu conto mais da minha vida em São Paulo!

imageimageimageAh, não se esqueçam de participar da promoção que tá rolando no blog hein! Pra saber como participar é só clicar aqui!

Beijos!

Continue Reading