Pra fazer maratona: Orphan Black

Quem gosta de balada, curtição e balalaika com tang na garrafinha de gatorade é adolescente, adulto gosta mesmo é de maratona de séries no fim-de-semana. E é por isso que a partir de hoje, todas as sextas euzinha vou dar dicas ótimas de séries viciantes pra você passar seu fim-de-semana na doce companhia do netflix e do edredom ♥

Foi difícil escolher entre todas as séries que eu assisto, porque todas são viciantes, mas escolhi uma que tem um lugar muito especial e cativo no meu coração: Orphan Black. Sério, desde o primeiro episódio que eu assisti eu não queria mais parar, assisti três temporadas em um espaço de uma semana, e já estou me sentindo órfã agora que acabou a quarta temporada.

AA_orphanblack_thumbnail_s2_02_web

Você quer motivos para escolher Orphan Black pra ser sua companhia do fds? Então dá-lhe motivos:

1 – Ficção científica e mistério

giphy (3)

O tema central de Orphan Black é a clonagem humana. Pra contextualizar um pouco sem dar spoiler, Sarah Manning é uma moça muito da porra louca, que está fugindo de um ex-namorado traficante que tá na cola dela atrás de dinheiro, quando numa estação de trem encontra uma moça exatamente igual à ela, que se joga na frente do trem e deixa uma bolsa na estação. Ao pegar a bolsa, Sarah descobre que a mulher se chama Beth Childs, e vai até a casa dela afinal, se elas são iguais, nada mal se passar por ela pra limpar a barra e tirar o namorado trafica da cola dela né? Só que aí, ela descobre que a Beth não é uma irmã gêmea ou prima perdida pelo mundo, e sim seu clone. E que existem várias perdidas pelo mundo. E é aí que o caldo começa a engrossar porque Sarah se mete em muitas aventuras eletrizantes (leia com a voz do locutor da sessão da tarde) pra ligar os pontos dessa confusão toda.

É uma série de ficção científica muito bem amarrada, que faz você realmente acreditar que sei lá, você pode ter clones espalhados por aí. Mas, mesmo pra quem não curte muito o estilo, a série é incrível porque ela é rodeada de mistérios, enigmas e pontos a serem descobertos. Fora que a cada episódio a história muda um pouco de rumo e é completamente imprevisível saber como termina. É delicioso ir descobrindo os mistérios ao longo da série.

 

 

2 – Tatiana Maslany

orphan-black-tatiana-maslany-clones-sarah-alison-cosima-helena-rachel

Aí você me pergunta: mas como são vários clones, é uma pessoa só que interpreta? SIM! E a proeza é da maravilhosa, sensacional, fantástica Tatiana Maslany ♥. Ela interpreta oficialmente SETE personagens na série, mas sempre tem mais um clone a ser descoberto, e ela brilhantemente dá vida a todas elas. E o mais foda de tudo é que cada personagem é tão diferente entre si, que às vezes você esquece que é a mesma pessoa. Eu nunca vi nada igual, cada personagem tem seus trejeitos, seu jeito de sorrir, de olhar, sotaque, expressões faciais, é foda, é muito foda ver o trabalho da Tatiana. Não me conformo que ela não venceu nenhum Emmy até hoje!

 

3 – Girl Power!

clone-dance-party4

Orphan Black é uma série que tem mulheres muito fortes. Além dos clones, as mulheres que as rodeiam são tão únicas e incríveis! É impossível não se apaixonar pelas mulheres, tão carregadas de bagagem e cicatrizes emocionais, e que tão brilhantemente defendem as pessoas que elas amam! Amo ver as séries que representam as mulheres como pessoas reais, sem afetação, com bom humor e sensibilidade ♥

 

4 – Os coadjuvantes

giphy (4)

Nem só de cientistas e clones se faz uma série de sci-fi. Orphan Black só tem personagem foda, e os coadjuvantes são tão protagonistas como os clones. Cada um vai se descobrindo e ajudando a deixar o roteiro mais completo e intrigante possível. E tem figuras detestáveis como o Ferdinand, e apaixonantes como o Donnie e o Felix ♥ Aliás, DONNIE E ALISON MELHOR CASAL EVER OK?

 

5- Representatividade 

giphy

Além da feminina, a questão lgbt está muito bem representada em Orphan Black. Existem personagens gays, lésbicas, trans, e tudo é tratado de forma muito natural. Nunca a sexualidade é tratada como um fator principal do personagem, é só parte do que ele é, como sempre deveria ser. Há muito mais nos personagens do que a pessoa que ele se relaciona. E isso é pra levar para a vida, é uma reflexão super importante 🙂

 

6- Um humor muito natural

giphy (2)

É uma série de suspense, com muito drama mas também com muito humor. Mas um humor diferente, sarcástico, sagaz, que te faz rir quando você menos espera. Grande parte do humor é graças ao Felix e ao casal Alison e Donnie.

 

7 – Drama e suspense

A série vai muito além do tema clones e evolução genética, ela trata de vários outros temas, como fanatismo religioso, corrupção na polícia, maternidade, dramas familiares, adoção, etc. Por isso eu disse lá em cima que Orphan Black não é apenas para fãs de sci-fi 😉

giphy (1)

Eu poderia listar um milhão de motivos para você assistir Orphan Black, mas você ia perder tempo aqui lendo quando poderia comprovar tudo isso aqui que eu disse assistindo. Então, não perde mais tempo! Tem quatro temporadas fresquinhas para você assistir, vir comentar comigo e se apaixonar pela Helena ♥

Ana Paula de Almeida

24 anos, jornalista, apaixonada por moda, redes sociais, Netflix e playlists do Spotify. Caipira morando na cidade grande e que ainda pega ônibus errado

Comentários